Reportagem do Fantástico: cuidados com eletricidade

Sem fazer apologia a qualquer emissora televisiva ou programa específico, cumpre citar que o Fantástico sempre traz reportagens interessantes. Só sobre Segurança com Eletricidade já é pelo menos a segunda reportagem. Por isso, trouxe este post para que alguns pontos da reportagem sejam discutidos, como será visto a seguir. A resportagem completa está disponível no site. Aguardo os comentários de todos.

  1. O pintor realmente nasceu de novo. A bioimpedância do corpo humano, conhecida popularmente como “resistência”, consiste na oposição da formação biológica humana à passagem de corrente elétrica. De forma geral, esta bioimpedância varia não apenas com a concentração de água no corpo (ou se estamos molhados ou secos), mas também varia de acordo com a temperatura corpórea, frequência dos impulsos elétricos através de sinapses, equilíbio de concentração iônica (processos eletroquímicos, como a troca de íons nas bombas de sódio e potássio), viscosidade dos fluidos e acidez. Esta função cheia de variáveis implica numa impedância entre 0,5 a 5 kOhm, aproximadamente. Além disso, os efeitos da corrente elétrica no corpo humano varia, dentre outras razões (caminho percorrido, intensidade de corrente…), de acordo com a frequência da tensão aplicada. O efeito pelicular em condutores consiste no fato que um bom condutor serve na realidade como um guia de onda, conduzindo muito na sua superfície e atenuando fortemente o campo eletromagnético no interior do condutor. Este efeito é quantificado pela profundidade pelicular ou distância entre o campo no interior do condutor e o na superfície deste; a profundidade pelicular e a frequência são inversamente proporcionais, ou seja, quanto menor a frequência, maior a intensidade de campo eletromagnético no interior do condutor (portanto, piores os efeitos da passagem da corrente elétrica alternada no corpo humano em 60 Hz que 100 MHz, por exemplo, pois no primeiro caso a corrente percorre tecidos e órgãos internos, não passando apenas pela derme do corpo).
  2. Cautela para não aproximar elementos condutivos da rede elétrica. Mesmo para redes com cabos cobertos, existe o perigo de choque elétrico por indução. Ainda no ensino médio, fizemos diversos exercícios e experiências sobre eletrização de corpos, inclusive neutros. Vimos por exemplo que ao aproximar um corpo carregado negativamente de outro corpo neutro, aquele se eletriza  positivamente (convenção de perder elétrons) e o neutro, por ganhar elétrons, fica carregado negativamente; precisamos ter em mente que a corrente elétrica que passa através de um condutor gera um campo elétrico ao seu redor e para variação de fluxo, são gerados campos eletromagnéticos (é o caso da rede de distribuição). E uma vez estabelecido o melhor caminho (aquele que oferece menor resistência à passagem de corrente), sobretudo quando há a formação do arco elétrico (rompimento da isolação ou rigidez dielétrica do meio, geralmente ar), a atração é irresistível. Outra questão é que nenhum material é 100% isolante ou condutor, isto implica que dependendo da intensidade da tensão elétrica, o rompimento das propriedades isolantes de um material pode fazê-lo conduzir.

4 comentários sobre “Reportagem do Fantástico: cuidados com eletricidade

  1. Considero interessantes as suas observações e explicações acerca da reportagem do Fantástico – TV Globo, do último dia 07/11, sobre choque elétrico ou eletrocussão. Parabens!
    Na minha infância tive algumas experiências vividas nas quais presenciei a morte de pessoas conhecidas em situações semelhante (ou idêntica) a esta noticiada no Fantástico. E isso tem pelo menos uns 30 anos. Então o problema da segurança, a desinformação, a negligência e afins continuam a dominar o cerne destas ocorrências. Muito triste, mas também irresponsável a maneira como até os dias atuais o agente físico ‘eletricidade’ é tão negligenciado.
    Abraço.

    • Joran,

      Agradeço por sua visita e pelo seu comentário. Realmente a segurança em eletricidade ainda hoje não merece a atenção devida; a boa notícia é que esta política tem mudado progressivamente…hoje temos organizações pautadas para a difusão dos perigos em eletricidade e as empresas de um modo geral passaram a atribuir total prioridade ao atendimento das questões de SMS (Segurança, Meio Ambiente e Saúde). Acredito que a conscientização realmente é um trabalho construído pouco a pouco, principalmente quando se trata de perigo no lar, quando geralmente descuidamos mais da segurança. Abraço!

  2. Bom dia…

    Na reportagem da Fantástico do domingo passado, foi você que enviou à matéria pra edição?
    apesar do erro foi muito oportuno, pois são muitas coisas feitas fora da ABNT no Brasil. Hoje no programa da Ana Maria Braga foi muito esclarecedor sobre segurança em eletricidade.

    • Olá, Marco,

      Não, na realidade só fui ler esta matéria ontem. Concordo com você, o Fantástico tem veiculado matérias muito interessantes…o intuito do post na realidade foi para usar a matéria para refletir sobre algumas definições em Engenharia Elétrica, tratar com mais detalhes. Vou dar uma olhada na matéria que passou hoje no programa da Ana Maria Braga. Valeu pela dica!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s