Início > Eletrotécnica > Corrente Alternada (CA) e Corrente Contínua (CC)

Corrente Alternada (CA) e Corrente Contínua (CC)

Os conceitos de Corrente Alternada (CA) e Corrente Contínua (CC) são muito simples, porém fundamentais para analisar circuitos elétricos e entender o princípio de funcionamento de equipamentos, dispositivos e instrumentos elétricos. Neste post apresentaremos o tema de forma simples e objetiva, com aplicações práticas.

Tudo quanto existe no universo e que ocupa lugar no espaço (conceito de matéria) é formado por átomos que se encadeiam formando moléculas. É como uma rede integrada em que cada nó representa um átomo, os pequenos conjuntos representam as moléculas e os conjuntos maiores vão formando substâncias. Houve um tempo em que se pensou que o átomo fosse a menor porção da matéria, indivisível e indestrutível. Hoje sabemos que isso não é verdade, e que existem partículas pequeníssimas, microscópicas, impossíveis de serem vistas a olho nu, que se relacionam com milhões de outras partículas, através de forças de atração e repulsão, buscando sempre o equilíbrio.

Uma destas partículas infinitesimais (milhões de vezes menor que o metro), a que se atribui carga elétrica negativa, é chamada elétron. Quando no estado livre na natureza, os elétrons livres se associam e quando formam um fluxo ordenado passando por um material condutor, geram uma corrente elétrica. Este movimento é similar à ação das formigas indo em busca de alimentos para prover  as reservas no formigueiro; elas formam filas imensas, sempre num movimento coordenado e indo sempre num mesmo sentido. Em termos comparativos, as formigas representam os elétrons e a fila representa a corrente elétrica.

Quando os elétrons, formando uma corrente elétrica, não variam seu sentido de deslocamento (não invertem a polaridade), diz-se que a corrente é contínua. Isso é similar a pensar na chuva; os pingos d’água caem do céu (cima) em direção ao chão (baixo), sempre no mesmo sentido.  Corrente Contínua (CC) não significa corrente constante. A definição de um sinal (corrente, por exemplo) constante é aquele que não muda de valor com relação ao tempo; ou seja, toda corrente constante é contínua, mas não necessariamente toda corrente contínua deve ser constante (pode ter variações, contudo, nunca inverte o sentido). Entretanto, pode ocorrer dos elétrons ficarem invertendo repetidamente seu sentido, e neste caso a corrente gerada é alternada.

Houve um tempo em que os cientistas (dois em especial, Thomas Edison e Nikola Tesla) discutiam acirradamente qual tipo de corrente prevaleceria em detrimento à outra para aplicações em engenharia (CA ou CC). Hoje sabemos que ambas são importantes, cada uma trazendo suas vantagens específicas.

Por exemplo, para transmissão de energia elétrica através de condutores elétricos, a inversão recorrente do sentido da corrente elétrica (corrente alternada) gera menos perdas do que a corrente contínua. Isso acontece porque tanto os condutores elétricos (ocupa lugar no espaço) quanto a corrente elétrica são formados por elétrons. Assim, os elétrons que estão soltos, se movimentando numa corrente elétrica, acabam se chocando com os elétrons “presos” dos condutores. Este choque gera perdas na transmissão da energia, sobretudo na forma de calor (um isqueiro, de forma semelhante, gera faíscas a partir do atrito entre dois corpos). Contudo, devido às inversões de sentido dos elétrons, há menos choques ou atrito do que se não houvesse esta inversão (elétrons sempre no mesmo sentido, como na corrente contínua). Com esta redução de choques entre os elétrons, vem a diminuição de perdas.

Por outro lado, para a transmissão de energia elétrica no Brasil há um padrão para a quantidade de vezes que as inversões do sentido dos elétrons ocorrem. Contudo, em outros países do mundo, este padrão pode ser diferente. Nestes casos, há vantagem em se usar corrente contínua, pois neste tipo de corrente não há inversão do sentido de elétrons, logo, através de equipamentos adequados, estes elétrons podem ter seu sentido invertido na quantidade de vezes padronizada em um dado país. Este é o caso de um trecho de 800 km de rede de transmissão entre Ibiúnas-SP e Foz do Iguaçu-PR.

Estes equipamentos que convertem corrente contínua em alternada são chamados inversores e os que fazem o processo inverso, isto é, convertem corrente alternada em contínua, são chamados retificadores.

As concessionárias de energia elétrica, como a COELBA, distribuem a energia na forma de corrente alternada, que chega até as nossas casas e nos permite ligar os aparelhos eletrodomésticos e eletrônicos. Note que já para ligar celulares é preciso utilizar um carregador, que possui internamente um retificador, pois as baterias dos celulares são alimentadas por corrente contínua.

About these ads
CategoriasEletrotécnica
  1. ozorio
    julho 14, 2010 às 11:14 am

    muito bom

  2. Vitor Ferreira
    março 20, 2013 às 1:57 am

    Muito bom, PARABÉNS! Não achei essas informações em muitos sites!

  3. marcio frança
    abril 15, 2013 às 5:27 pm

    exelente,,..valeu

  4. Luís Henrique Stilpen
    outubro 30, 2013 às 12:31 am

    Muito bom !

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 82 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: